Plantão
Educação

Taxa de lixo um mal necessário, temos responsabilidade na produção

Publicado dia 07/03/2019 às 09h26min | Atualizado dia 07/03/2019 às 13h50min
Lixo urbano uma preocupação mundial, e agora estamos vivendo esta realidade, efeito de ação e reação.

Lixo doméstico tem sido uma grande preocupação em todo o mundo, com a produção desenfreada de lixos que só cresce a cada dia por no planeta.

Vendo este problema que é de responsabilidade de todos, autoridades do mundo inteiro se reuniram para darem um fim certo aos lixos produzidos no planeta, pelos menos assim ameniza o problema que afeta todas as classes social, autoridades japonesas criam soluções para darem destino certo ao lixo produzido naquele país, na Europa o problema não é diferente, acatando um tratado mundial o Brasil também tem que da fim ao lixo produzido, que  principalmente as cidades produzem e pensando nisso outorgou a cada município dar o destino certo ao lixo produzido pelos moradores, principalmente da área urbana, que com a melhora  da renda dos Brasileiros vem também o aumento de consumo de produtos embalados, tanto em sacolas plásticas quanto em embalagens de papel ou mista, e este lixo é o que preocupa as autoridades que tem uma demora para a sua decomposição, levando ai dependendo do produto até 500 anos para se decomporem totalmente causando assim um efeito negativo no meio ambiente, que é a preocupação principal das organizações ambientais devido ao aquecimento global.

 

Passando esta responsabilidade para os municípios as autoridades não levaram em conta os recursos que seriam gastos com a destinação destes dejetos, em Rondônia muitos municípios estão atravessando problemas com esta destinação, município que sua arrecadação, não atinge 10% do valor que seria o de uma construção de um aterro sanitário obedecendo aos padrões requerido pelo os órgãos ambientais, na região central de Rondônia, por exemplo, temos apenas um aterro que pode receber o lixo produzido nesta região, com isso as despesas não param, por exemplo o município de São Francisco do Guaporé e costa Marques ficam uma distância de aproximada de 300 km, de distancia de onde fica o aterro sanitário que é de  propriedade particular, junto a isto vem o transporte que traz em seu valor agregado por viagem um valor elevado, gera custo alto gastos estes que os municípios não tem condições de bancar com recursos próprios, vendo assim a necessidade da criação da taxa do lixo que vem causando polemicas em quase todos os municípios, principalmente os que ficam mais distantes do local de destinos que tem que cobrar um valor um pouco mais alto.

 

Em são Francisco do Guaporé por exigência do ministério publico e dos órgãos ambientais, em um curto espaço de tempo a prefeitura terá que dar destino certo ao lixo produzido, tento por tanto que criar uma taxa para cobrir esta despesa que não fora bem aceita por parte dos  moradores, uma taxa anual ou mensal entre R$ 200,00 ou de R$ 20,00, mês taxa esta que seria para despesas de transportes e manutenção do lixo no aterroro de novo horizonte. 

 

Em países desenvolvidos rumo para onde o Brasil segue, cada morador da destino ao seu lixo de formar seletiva, ação sujeita a multas pesadíssimas caso haja descumprimento das leis ambientais, por isso as crianças nas escolas desde então são educadas a dar destino certo ao seu lixo produzido temos que caminhar para um país equilibrado ecologicamente tendo em vista que não tivemos está preocupação de nossos ancestrais, temos que assumir esta responsabilidade, lixo é uma produção nossa diária uns menos e outros mais más cabe a cada um de nós fazer a nossa parte para amenizar o problema de poluição no planeta.

Fonte: Loderval Romano DRT-1590/RO / Foto: internet.