Plantão
Geral

Benta Maria Barbosa da Cruz, escalada de superação e sucesso profissional

Publicado dia 05/08/2019 às 10h39min | Atualizado dia 05/08/2019 às 10h44min
“Por estar tanto tempo no município, consigo ver a diferença de um gestor para o outro. Uns valorizam os servidores e outros não. Com Emanuel, desde o início, deu pra perceber que seríamos tratados com respeito”, finalizou dona Benta.

A história de Benta Maria Barbosa da Cruz na Prefeitura de Cuiabá, começa no ano de 1986, época em que Frederico Campos era o gestor da capital. Sua carreira profissional deu início aos 30 anos de idade, depois de ficar viúva e com oito filhos para criar, como relata. Ela destaca que na época, a ‘porta’ que foi aberta para que ela pudesse trabalhar foi na Secretaria de Obras Públicas onde tinha amigos que a ajudaram diante de sua situação difícil.

Sua trajetória no funcionalismo publico acabara de ser iniciada, porém, no começo, como contratada, até que em 1990 foi realizado pelo município de Cuiabá concurso público onde decidiu fazer a inscrição e estudar conseguindo assim a efetividade no cargo de serviços gerais.

Foram 27 anos trabalhando no mesmo local. Fez amigos e guardou muitas histórias, uma delas a ajuda que teve dos colegas, pois como tinha oito filhos para sustentar e recebia um salário mínimo apenas, os próprios servidores ajudavam dona Benta, como é conhecida, com atividades extras para que ela mesma pudesse aumentar a renda.

‘’Lembro-me que trabalhava um período na secretaria e em outro fazia faxina na casa dos meus colegas. Foi com este suor que consegui criar meus filhos e fazer com que eles estudassem e se graduassem’’, relembrou com orgulho.

O início da carreira na secretaria atuou como auxiliar de serviços, depois foi para a copa e, em seguida, pela simpatia e desenvoltura, acabou sendo promovida para a recepção, onde permaneceu por oito anos.

Depois passou para o almoxarifado, no controle de materiais, e ainda teve a oportunidade de ser relatora de produtividade diária. Neste tempo, só não trabalhou na oficina e no posto de gasolina, áreas constante na estrutura da pasta de Obras.

“No início, é sempre difícil entrar em um emprego, ainda mais quando não se tem experiência. Eu tinha chefe que era bem exigente e fazia com que fizéssemos um trabalho perfeito. Mas, isso foi um ponto positivo na minha vida por que me tornei perfeccionista, em todos os meus a fazeres, e perdi o medo de desafios, tanto é que qualquer lugar em que eu fui remanejada, fui sem medo e fiz um bom trabalho’’, destacou.

Em 2010, pensando na aposentaria decidiu fazer um curso de Técnico de Alimentos e também de Gastronomia. O projeto de vida, na época, era trabalhar com pessoas diabéticas e hipertensas. Porém, acabou se envolvendo em um grave acidente, ao descer de um ônibus, e com isso teve que adiar seus planos.

“Ainda não perdi minhas esperanças e acredito que tudo tem seu tempo. Depois que eu me aposentar pretendo colocar em prática tudo que sonhei’’, disse esperançosa.  

Atualmente, dona Benta está na Secretaria de Serviços Urbanos há quase cinco anos e desenvolve o trabalho administrativo no setor financeiro da pasta. Com 63 anos de idade e 32 anos de carreira, ainda não pensa em aposentadoria, já que, segundo ela, não conseguiria ficar em casa, então, como própria relata, “a ideia é trabalhar até quando o corpo permitir ou for aposentada compulsoriamente”.

Para a servidora, trabalhar na gestão Emanuel Pinheiro é gratificante, principalmente quando se vê a valorização do profissional servidor público, uma das marcas da atual administração.

 “Por estar tanto tempo no município, consigo ver a diferença de um gestor para o outro. Uns valorizam os servidores e outros não. Com Emanuel, desde o início, deu pra perceber que seríamos tratados com respeito”, finalizou dona Benta.

Fonte: Assessoria